Maputo: Casa dos Corações - Oficinas para crianças, com Catarina Castel-Branco

Date
10-06-2017 - 14-06-2017
Location
Centro Cultural Português em Maputo

Description

No âmbito da exposição “Cartografias”, o Camões – Centro Cultural Português em Maputo promove duas iniciativas com a artista Catarina Castel-Branco: uma atividade dedicada a crianças com mais de 8 anos no dia 10 de Junho, na Escola Portuguesa de Moçambique entre as 12h30 e as 14h30, e uma oficina de desenho e serigrafia, entre 12 e 14 de junho, para os estudantes da Escola Nacional de Artes Visuais.

A artista portuguesa tem uma longa experiência no campo das artes e trabalha há mais de vinte anos com estudantes em Portugal, conhecendo, por isso, também metodologias e técnicas de ensino nesta área.

Esta iniciativa conta também com o apoio da Comissão Organizadora de Eventos da Comunidade Portuguesa em Moçambique.

Nota Biográfica:

Catarina Castel-Branco nasceu em Abrantes em 1956. Diplomada pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e pela Academia Gerrit Rietveld em Amsterdão (Holanda). Bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian em 1984 e durante os anos letivos de 1987/88 e 1988/89, enquanto aluna da Academia Gerrit Rietveld. Bolseira do Governo Holandês (NUFFIC) em 1989, enquanto gravadora no Amsterdams Grafisch Atelier.

Atualmente, e desde 1996, é professora de Desenho no Departamento de Design da Universidade Lusófona em Lisboa.

Realizou, entre 1983 e 2015, trinta e duas exposições individuais de gravura, pintura e desenho. Participou em mais de setenta exposições coletivas a convite de várias instituições nacionais e estrangeiras.

Em 1987 ganhou o Prémio da Exposição Nacional de Gravura, atribuído pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Cooperativa Gravura. Em 1990 ganhou o Prémio de Edição na II Bienal de Gravura na Amadora. Editada pela “Gravura” em 1988 e 1989.

Em 1991/92 foi convidada a ilustrar com gravuras e desenhos da sua autoria os convites, programas e cartazes do Serviço de Música da Fundação Calouste Gulbenkian. Em 1992 ilustrou os programas e cartazes do Festival Internacional de Música do Algarve e o cartaz de apresentação da Orquestra Gulbenkian. Realizou o cenário da peça “Três passagens para Moscovo”, no Centro Cultural de Belém, em Junho de 1994.

Em 2004 foi convidada pela Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva a representar Portugal no 37º Prémio Internacional de Arte Contemporânea de Monte Carlo.

A sua obra está representada no Museu de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa/Portugal), no Museu V. Moderne Kunst (Amsterdão, Holanda), no Museu Martins Correia (Golegã/Portugal) e no Museu Armindo Teixeira Lopes (Mirandela/Portugal). Está também representada em coleções particulares como: Clube 50, Coleção da Sociedade de Advogados PLMJ, Coleção Millenium BCP, entre outras em Portugal, Brasil, Bélgica, França, Itália, Espanha, Holanda, Luxemburgo, U.S.A., Japão e México.